fbpx

A gamificação (do inglês, gamification) ganha cada vez mais destaque em sala de aula.

A metodologia utiliza a lógica e os recursos dos jogos para criar experiências de aprendizado mais significativas. Dessa maneira, os alunos assimilam e associam conhecimentos de forma lúdica e divertida.

O conceito não se restringe a brincar com games. O objetivo é fazer os estudantes pensarem e agirem como em um jogo. Isso passa pela inserção de elementos e mecânicas desse universo – como desafios e interatividade – no contexto pedagógico.

O resultado é uma aprendizagem mais motivadora.

Gamificação no ensino bilíngue

A aprendizagem no ensino bilíngue exige a imersão dos alunos na língua inglesa. Essa tarefa ficou um pouco mais complicada durante a pandemia, quando as aulas migraram forçosamente para o modelo remoto.

Nesse cenário, a gamificação aumenta o engajamento, uma vez que os jogos fazem parte da rotina da maioria dos jovens. Ao mesmo tempo, ela pode ser usada para potencializar a vivência prática em inglês.

A metodologia também se tornou uma alternativa para unir entretenimento e aprendizado. Para os professores, trata-se de uma oportunidade para estimular os alunos dentro e fora da sala de aula, mantendo uma postura ativa nas turmas. Afinal, o funcionamento dos games coloca os estudantes como protagonistas da construção do conhecimento, o que maximiza a aprendizagem.

Conforme for aplicada, é uma maneira de coletar dados personalizados para futuras intervenções pedagógicas.

Como ferramenta didática, a gamificação ainda auxilia no desenvolvimento de soft skills como criatividade, autonomia, colaboração e resiliência. Ou seja, os jogos provocam sentimentos que podem ser trabalhados para aumentar o repertório emocional e comportamental dos estudantes.

Ensinado através da gamificação

O mercado educacional conta com diversas plataformas gamificadas. Os recursos estão conectados à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que indica práticas pedagógicas centradas em interações e brincadeiras. Veja, abaixo, algumas dicas para aplicar a gamificação em sala de aula:

1.    Criar um ranking

A ideia é desenvolver a competitividade saudável e a interação. Defina um prazo para entrega das atividades. Uma alternativa é criar premiações ao final de cada etapa para motivar os alunos e incentivar a vivência em inglês.

2.    Usar sistemas de feedbacks

O aluno deve aprender que errar é parte do processo. Garanta sua continuidade na jornada elaborando um sistema de feedback instantâneo. Acompanhar a própria evolução faz com que o estudante saiba onde está e onde deve chegar.

3.    Trabalhar a função cognitiva dos alunos

Os jogos ativam funções como atenção, memória, percepção, criatividade, responsabilidade, autonomia, determinação, ética e socialização. Por isso, invista em atividades que estimulem diversos aspectos da cognição.