fbpx

A sala de aula faz parte do desenvolvimento de qualquer pessoa. É nela que o indivíduo aprende a ler e escrever, cria laços afetivos e adquire conhecimentos e experiências que carregará por toda a vida. Um ambiente tão central na formação de cidadãos precisa atender aos anseios de uma sociedade em constante mudança. Para isso, é possível não apenas seguindo as diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), mas adotando práticas ainda mais efetivas. É o caso da gestão de sala de aula.

Boa parte dos 2,2 milhões de professores de Ensino Básico atuantes no Brasil procuram aplicar metodologias que melhorem o engajamento dos alunos, colocando-os como protagonistas nesta estratégia. A missão dos profissionais também envolve a gestão de questões relacionadas à aprendizagem em si, ao ambiente das aulas, às relações interpessoais e ao tempo dedicado a cada demandas. Como se pode ver, não é tarefa fácil.

Considerando esse cenário, saiba como a gestão de sala de aula pode otimizar processos e tornar as práticas educacionais ainda mais eficientes.

Índice

  1. O que é gestão de sala de aula
  2. Como construir a gestão em sala de aula
  3. Gestão da aprendizagem
  4. Gestão do ambiente
  5. Gestão das relações interpessoais
  6. Gestão do tempo


BÔNUS: O uso das tecnologias

O que é gestão de sala de aula

Classroom management ou gestão de sala de aula é um termo utilizado para descrever os processos utilizados pelos professores para garantir que os processos educativos ocorram da melhor maneira possível. Ou seja, proporcionando um maior aprendizado aos alunos, inclusive a fim de resolver um dos maiores problemas na educação: o engajamento. Além disso, estabelece um ambiente organizado e propício ao desenvolvimento social e emocional dos estudantes.

Os métodos aplicados podem variar. É preciso considerar as particularidades de cada turma, assim como os conteúdos a serem trabalhados e o estilo de aula do professor.

Como construir a gestão de sala de aula

É importante que o professor busque conhecimentos e habilidades necessários para implementar a gestão em sala de aula. Recomenda-se buscar meios de formação continuada, como livros, portais de notícias e estudos científicos publicados em periódicos como a Revista Brasileira de Educação Básica e a Revista Educação e Pesquisa, da Universidade de São Paulo (USP).

Estudar o assunto permite que o profissional construa um estilo de aula mais autoral, bem como sua própria estratégia de classroom management. Tudo isso sem deixar de considerar o contexto em que está inserido. Portanto, a etapa também envolve conhecer as peculiaridades e os interesses dos estudantes. As atividades serão mais interessantes e, consequentemente, terão mais engajamento e aprendizado por parte da turma.

Ao mesmo tempo, ter um repertório sobre gestão de sala de aula agrega autoconfiança ao docente. O aspecto reflete na rotina escolar, ao promover o respeito dos alunos e a facilidade na mediação das atividades.

Gestão da aprendizagem

O modo como o docente aborda os conteúdos e administra suas aulas também é central na estratégia de classroom management. O fator considera o interesse e as interações com os alunos durante o processo de ensino para potencializar o desenvolvimento de conhecimentos e habilidades.

Nesse contexto, o professor pode valer-se da ludicidade, buscando atrair e reter a atenção dos estudantes. Trata-se de uma possibilidade para engajar as turmas usando recursos que vão além da lousa e de apresentações em power point, por exemplo. É possível, ainda, usar a internet para mostrar vídeos e debates sobre um assunto específico e permitir o uso de celulares para pesquisas. Outra possibilidade é o uso da gamificação. Também é essencial dar explicações claras e objetivas sobre cada conteúdo.

Todo educador tem suas preferências e particularidades. E isso não pode ser ignorado no planejamento da gestão de sala de aula. Por isso, o profissional deve conhecer seu próprio estilo para saber o que é capaz de oferecer à rotina escolar.

Gestão do ambiente

O ambiente escolar precisa ser organizado, já que, assim, traz segurança e conforto, estimula a participação e reduz possíveis distrações. Problemas de conexão à internet, falta de banheiros adequados, ou mesmo de acesso a saneamento, energia e água potável são fatores prejudiciais à rotina educacional. Ainda assim, essa era a realidade de quase 10 milhões de estudantes brasileiros em 2020, conforme o Comitê Técnico de Educação do Instituto Rui Barbosa.

Embora estes fatores não estejam sob o controle do professor, a configuração da sala de aula e do ambiente escolar estão. A disposição das classes, por exemplo, deve possibilitar a interação entre alunos e professores, mas também entre os estudantes. Para isso, é recomendado evitar as tradicionais fileiras, adotando formações em círculo ou em U, que permitem o diálogo e a observação do educador.

Além disso, os professores podem planejar atividades em outros espaços, fora das salas. Aulas em laboratórios ou ao ar livre costumam despertar o interesse dos alunos e tornam a rotina menos cansativa e monótona – inclusive para os profissionais.

Gestão das relações interpessoais

Outro aspecto importante da gestão de sala de aula é a administração do relacionamento entre as pessoas envolvidas na rotina escolar – como professores, alunos e funcionários da escola. O tema considera o comportamento dos estudantes, tentando minimizar o risco de atos de indisciplina.

Pesquisas apontam que o mau comportamento em sala de aula pode comprometer todo o processo de aprendizagem, assim como a capacidade do professor de incentivar a construção de conhecimentos. Casos de desobediência causam a perda de foco e desmotivam outros alunos, fazendo com que haja descontrole e desorganização do ambiente.

A boa notícia é que esse problema pode ser evitado, segundo um artigo publicado em 2021 no jornal Science Direct. O estudo afirma que docentes mais experientes previnem a indisciplina oferecendo aulas mais envolventes e comunicando expectativas de maneira clara. Ao mesmo tempo, buscam entender a razão do mau comportamento, agindo na raiz do problema, sem tirar a autonomia do aluno.

Entre as ações que podem ajudar os professores no relacionamento com os alunos estão a criação de um espírito de grupo, que irá fazer com que todos se sintam responsáveis pelo melhor desempenho da turma. Além disso, o reconhecimento de comportamentos positivos e a identificação das vontades dos alunos devem ser considerados a fim de proporcionar melhores interações interpessoais – e, assim, aperfeiçoar a gestão de sala de aula.

Gestão do tempo

Segundo a Pesquisa Internacional sobre Ensino e Aprendizagem, feita pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), em 2018 os professores gastavam cerca de 33% do tempo em sala de aula para manter a ordem no ambiente ou em tarefas administrativas. Portanto, a otimização da rotina está conectada às demais estratégias de gestão, já que uma aula disciplinada será melhor aproveitada.

Um aspecto que deve ser observado atentamente pelos docentes na hora de montar seu classroom management é o tempo de fala. Aulas em que apenas o professor explana na maior parte do tempo tendem a ser consideradas maçantes. Aqui, o profissional deve dar espaço à interação com os alunos, assim como promover diálogos entre eles sobre os temas abordados.

Outras sugestões para otimizar o tempo em sala de aula são:

  • Perguntar quais são as dúvidas da turma, em vez de dar explicações desconhecendo o que os alunos desejam saber;
  • Dar tempo para que os estudantes assimilem o conteúdo;
  • Permitir que os alunos falem sem interrupções;
  • Fazer uso de pares e pequenos grupos para maximizar oportunidades aos estudantes falarem.

BÔNUS: O uso da tecnologia

A pandemia acabou acelerando o processo de inserção da tecnologia nos processos educacionais. Aulas a distância e plataformas digitais foram importantes e mudaram as perspectivas de gestão de sala de aula. Nesse cenário, a tecnologia passou a ocupar ainda mais espaço nas salas de aula. De acordo com o Censo Escolar 2021, 70,6% das escolas privadas de Ensino Fundamental no Brasil buscaram formas de utilizar recursos tecnológicos no dia a dia.

Materiais digitais como videoaulas, podcasts, games, textos e fóruns podem propiciar novas experiências em sala de aula, tornando o espaço escolar mais interativo e dando mais autonomia aos estudantes. Logo, os educadores devem estar preparados para usar os novos recursos a seu favor. Na hora de gerenciar a rotina escolar, a tecnologia pode ajudar a agregar conhecimentos e otimizar o tempo, entre outros benefícios.

O Twice

Depois de ler este guia, que tal conhecer outra estratégia que ajuda no engajamento dos alunos na sala de aula? Os programas bilíngues oferecidos pelo Twice, bem como os materiais e soluções disponibilizados aos parceiros, aumentam a efetividade do ensino e tornam a rotina escolar mais interessante e proveitosa para alunos e docentes. Os profissionais podem usar flashcards, jogos, fantoches, músicas e CDs de listening, por exemplo.

Leve o Twice para sua região, seja como sistema de ensino bilíngue em sua escola ou revendedor franqueado.  Entre em contato conosco e saiba mais.